Eu-lírico à mostra

Palavras escondidas do peito, expostas, a mostra, sem volta

Month: September, 2014

Solta.

image


Queria que tu me soltasse, me deixasse escapar pela tua mão.
Eu sei, tu me segurou a pouco tempo.
Mas tu não entende. Eu tenho que ir.
E você não pode ir pelo mesmo caminho. Ele é meu.
Se você for, eu vou pra outros lugares que não. Não os meus.
E se tu demorar em mim, e eu em você,
vamos nos doer.
Mais do que já.
Corre. Foge. Rápido. Leva tudo.
Só não eu. Não me leva contigo.
Me deixa aqui que eu me viro.
Sempre me cuidei só, me deixa.
Só não deixa eu te machucar.

Vai.

Sabe desses dias em que tu não quer voltar?
O mesmo caminho, a mesma paisagem, o mesmo medo, as mesmas vontades de fazer o que não.
Esses dias que tu quer sair por aí..
Ouvir  a batida da música..
Deixar ela se misturar em você, fazendo do teu corpo,
o que ele é,
movimento.
Esses dias normais que você não quer que seja como todos os outros.
O que te prende? Por que tu não (se) deixa? Por que você não (se) acha?
Esses caminhos.. Olha!
Eles se multiplicam na sua frente.. Você não vê que eles só estão esperando ser pisados pra te levarem além disso que você é?

Vai.

image